twitter
rss

MUDANÇAS NA EDUCAÇÃO

                   De 1º de janeiro de 2015 a 06 de abril do mesmo ano, ocorreram 03 mudanças no Ministério da Educação, Cid Gomes ocupou o cargo de 1º de janeiro de 2015 à18 de março de 2015, logo após Luiz Cláudio Costa se manteve ministro interino a partir de 18 de março de 2015. Em 06 de abril de 2015 tomou posse Renato Janine Ribeiro.
                   Na cerimônia de posse, Dilma afirmou que Renato Janine Ribeiro está à altura dos grandes, “Para consolidar a construção do desafio de uma pátria educadora, convidei um professor, um pensador e um apaixonado pela educação; Renato Janine Ribeiro é uma feliz novidade”, disse a presidenta. 
                  Natural de Araçatuba, São Paulo, o ministro Renato Janine Ribeiro é doutor em filosofia pela Universidade de São Paulo (USP). Desde 1994, é professor titular da disciplina ética e filosofia política na USP. Tem 78 capítulos de livros editados e 18 livros publicados. Recebeu o Prêmio Jabuti, em 2001; a Ordem Nacional do Mérito Científico, em 1997, e a Ordem do Rio Branco, em 2009.
                 Janine disse que a educação é o instrumento decisivo para a justiça social e afirmou que o ministério vai contribuir com o ajuste fiscal do governo federal.
                   Segundo “Dilma Rousseff as mudanças ocorridas recentes na educação, foi uma alteração pontual. “São alterações pontuais, estou fazendo uma alteração pontual no Ministério da Educação”. “Não tenho perspectiva de alterar nada, nem ninguém, mas as circunstâncias às vezes obrigam você alterar, como foi o caso da educação,” observou Dilma Rousseff. Na fala da presidente, não fica claro, o motivo pelo qual Cid Gomes deixa o ministério da Educação.   
                  A SEE MG (Secretaria de Estado de Minas Gerais). Esse órgão tem por finalidade planejar, dirigir, executar, controlar e avaliar as ações setoriais a cargo do Estado relativas à garantia e à promoção da educação, com a participação da sociedade, com vistas ao pleno desenvolvimento da pessoa e seu preparo para o exercício da cidadania e para o trabalho, à redução das desigualdades regionais, à equalização de oportunidades e ao reconhecimento da diversidade cultural.
                    Tem a missão de desenvolver e coordenar políticas públicas de educação básica, inclusivas e de qualidade, garantindo plenas condições de funcionamento da rede pública, em especial da rede estadual, promovendo a formação integral dos estudantes, com vistas ao exercício da cidadania e à inserção no mundo do trabalho.
                  Rio pardo de Minas, município onde moro, atualmente tem como secretário de educação o senhor Jonas Marcio de Oliveira Cunha. 
                   Dentre outros planos da SME (Secretaria Municipal de Educação), está sendo elaborado atualmente, o Plano Decenal Municipal de Educação em nosso município. A construção do PDME para a cidade de Rio Pardo de Minas significa um grande avanço, por se tratar de uma Política de Estado e não somente uma Política de Governo. A sua aprovação pelo poder legislativo, sancionada pelo chefe do executivo, transforma-o em lei municipal e confere-lhe o poder de ultrapassar diferentes gestões. Nesse prisma, o PDME promove a superação de uma prática tão comum na educação brasileira: A descontinuidade que acontece em cada governo; recomeçar a história da educação, desconsiderando as boas políticas educacionais anteriores por não serem de sua iniciativa. Com um Plano Decenal Municipal de Educação com força de lei, respeitado por todos os dirigentes municipais, resgata-se o sentido da continuidade das políticas públicas
                   Se um dia viesse a ocupar o cargo de Secretária Municipal de Educação tomaria as seguintes providências em meu município:
  1.   Aderir cursos e capacitações para professores com enfoque na prática;
  2.   Juntamente com a prefeitura municipal, realizar reformas e construção de novas escolas;
  3.  Acabar com indicação política para diretor e sugerir que estes sejam escolhidos através de concursos públicos ou processos seletivos;
  4.  Exigir da administração pública, mais ônibus escolares com bom funcionamento e segurança, uma vez, que em nosso município a população, resida em sua maioria nas zonas rurais, “área territorial muito extensa”, necessitando do transporte escolar para terem acesso às escolas. E atualmente o transporte escolar em meu município é precário;
·           Além disso, procuraria trazer para o município universidades públicas com diversidades de graduações. Pois, hoje em dia, só existe uma faculdade particular na cidade e muitas pessoas têm o desejo de se profissionalizarem, mas, não tem essa oportunidade, devido a questões econômicas entre outras. 
                   Enfim, procuraria agir da melhor forma possível para contribuir com a melhora da educação. Tentaria trabalhar sempre pautada nas sugestões e críticas da população riopardense, com o intuito de promover qualidade de educação, pois, é isso que esperamos receber, quando pagamos impostos altíssimos. Pagamos e temos o desejo que o valor destes impostos, seja bem empregado na educação, na saúde entre outros.

           O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele”.

                Immanuel Kant




Referências

BRINO Ricardo De · Plano de trabalho da Secretaria de Educação de Rio pardo de Minas Maio 7, 2015 Disponível em>http://riopardodeminas.blog.br/plano-decenal-municipal-de-educacao

REVISTA VEJA. Renato Janine toma posse como ministro da Educação 06/04/2015

Secretaria de Estado de Minas Gerais



PLANO DECENAL MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

                   Está sendo elaborado atualmente o PLANO DECENAL MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO em nosso município. A construção do PDME para a cidade de Rio Pardo de Minas significa um grande avanço, por se tratar de uma Política de Estado e não somente uma Política de Governo.
                    A sua aprovação pelo poder legislativo, sancionada pelo chefe do executivo, transforma-o em lei municipal e confere-lhe o poder de ultrapassar diferentes gestões. Nesse prisma, o PDME promove a superação de uma prática tão comum na educação brasileira: a descontinuidade que acontece em cada governo; recomeçar a história da educação, desconsiderando as boas políticas educacionais anteriores por não serem de sua iniciativa. Com um Plano Decenal Municipal de Educação com força de lei, respeitado por todos os dirigentes municipais, resgata-se o sentido da continuidade das políticas públicas.
                   A elaboração do PDME constitui-se como o momento de um planejamento conjunto do Governo com a Sociedade Civil que, com base científica e com a disponibilização dos recursos que se fizerem necessária, deve ter como intuito responder às necessidades sociais, no que tange a educação em nosso município. O que garantirá a efetivação das diretrizes e metas estabelecidas no PDME serão a participação, o acompanhamento e a avaliação da sociedade civil, representada pelo Conselho Municipal de Educação, Câmara Municipal, trabalhadores/as da educação, pais/responsáveis de alunos/as, alunos, e todos/as os/as cidadãos/ãs que, de alguma forma, estejam envolvidos no processo educacional dessa cidade.
                    O desafio para o nosso município é elaborar um plano que guarde consonância com o Plano Nacional de Educação e, ao mesmo tempo, garanta sua identidade e autonomia. Esse Plano está sendo pensado a partir dos seguintes eixos: I. Sistema Municipal de Ensino; II. Educação Inclusiva: Cidadania e Emancipação; III. Qualidade da Educação: Democratização e Aprendizagem; IV. Gestão Democrática; V. Valorização dos/as Trabalhadores/as da Educação: Formação e Condições de Trabalho; VI. Financiamento da Educação: Transparência e Controle Social.
                   O Plano Decenal Municipal de Educação é um documento que estabelecem diretrizes, metas e prioridades para a educação municipal e tem como objetivo melhorar a qualidade do ensino oferecido pelo município. Quando aprovado pela Câmara Municipal torna-se uma lei que dará condições de continuidade nas políticas educacionais municipais. Como instrumento de operação do Sistema Municipal de Ensino, o PDME estabelece as políticas, diretrizes e define os objetivos e metas educacionais do município para um período decenal. A elaboração do plano, por meio da participação conjunta entre o Governo e a Sociedade Civil organizada, deve constituir-se em processo de formação, de aprendizagem sobre a realidade educacional do município, da concepção de educação inspiradora da ação, dos objetivos da ação e da própria razão de ser e de agir de cada participante. O Plano Decenal Municipal de Educação será encaminhado à Secretaria Municipal de Educação que, juntamente com a Procuradoria Geral à Câmara Municipal para aprovação e publicação.



FDE - Fundação para o Desenvolvimento da Educação




          Entre as principais atribuições da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) estão a construção de escolas, assim como a reforma, adequação de unidades escolares e abastecimento de materiais e equipamentos necessários.

           A FDE também é responsável por viabilizar a execução das políticas educacionais definidas pela Secretaria da Educação do Estado, implantando e gerindo programas, projetos e ações destinadas a garantir o bom funcionamento, o crescimento e o aprimoramento da rede pública estadual de ensino.





Acesse o link:



Adorei escrever o livro, pude relembrar com prazer   momentos de infância.







Clique aqui para acessar ao livro


A Filosofia de Paulo Freire 

Aprofundando o conhecimento...

video




O muro pichado do Colégio Estadual Professor José dos Reis Mendes, na periferia de Trindade, município goiano de 104 mil habitantes, a 18 quilômetros de Goiânia, virou espaço para a grafitação – grafitagem, na linguagem dos adeptos. O projeto de arte criado em 2011 deu tão certo que a direção da escola pensa em ampliá-lo para o ano letivo de 2012. A ideia é que o muro interno da instituição seja aproveitado como espaço de expressão artística dos 700 alunos do ensino fundamental e médio.



Zeca Baleiro
Filosofia
Composição: Noel Rosa

O mundo me condena
E ninguém tem pena
Falando sempre mal do meu nome
Deixando de saber
Se eu vou morrer de sede
Ou se vou morrer de fome.

Mas a filosofia
Hoje me auxilia
A viver indiferente assim.
Nesta prontidão sem fim
Vou fingindo que sou rico
Para ninguém zombar de mim.

Não me interessa
Que você me diga
Que a sociedade
É minha inimiga.
Pois cantando neste mundo
Vivo escravo do meu samba
Muito embora vagabundo.

Quanto a você
Da aristocracia
Que tem dinheiro
Mas não compra alegria
Há de viver eternamente
Sendo escrava desta gente
Que cultiva hipocrisia.




Imagem de FABÍULA BATISTA SILVA
filosofia contemporânea
por FABÍULA BATISTA SILVA - sábado, 19 abril 2014, 20:56
O EU-LÍRICO USA DA FILOSOFIA COMO VÁLVULA DE ESCAPE. VISIVELMENTE FRUSTADO, TALVEZ MAIS AINDA COM A HIPOCRISIA E ARROGÂNCIA DOS ARISTOCRATAS DO QUE COM SUA PRÓPRIA SITUAÇÃO SOCIAL, É ATRAVEZ DE VISÕES E PENSAMENTOS MAIS PROFUNDOS DA VIDA, PROPORCIONADOS PELA FILOSOFIA, QUE ELE TORNA-SE CAPAZ DE SUPERAR OS PROBLEMAS MUDANOS QUE O AFLINGEM. MOSTRA-SE CLARAMENTE COMO O INDIVIDUO QUE TEM CONTATO COM A FILOSOFIA SE SENTE EM RELAÇÃO AO MUNDO, DEPARA-SE COM OUTRA MANEIRA DE VER A REALIDADE O QUE PROVOCA UMA MUDANÇA DE VALORES E CONDUTA E ASSIM ELE SE SENTE ALHEIO AO MUNDO, SITUAÇÃO VIVIDA PELO EU-LÍRICO DA MÚSICA SENDO EXPLICITADO ESSE SENTIMENTO NA PASSAGEM “A VIVER INDIFERENTE ASSIM”.


Imagem de BIANCA PEREIRA COSTA
Re: Filosofia contemporânea
por BIANCA PEREIRA COSTA - sexta, 25 abril 2014, 20:17
Na composição ‘Filosofia’ de Noel Rosa, o eu-lírico sofre por ser quem ele é, em meio a uma sociedade que estabelece regras indiretamente de como as pessoas devem se comportar. E a Filosofia o auxilia a importar menos, a ser insensível em relação às coisas que acontecem com ele. E o aspecto da filosofia Contemporânea que explica essa atitude é a moralidade da razão, pois segundo Freud existe um poder invisível que controla bem profundamente a nossa consciência.


Imagem de JAIARA MATOS ROCHA
Re: O mundo nos condena?
por JAIARA MATOS ROCHA - domingo, 27 abril 2014, 20:50
Pela importância de seu trabalho para a música popular brasileira, Noel Rosa tornou-se aos poucos uma figura lendária. Inúmeras são as histórias sobre ele, seu bairro e seus sambas. Almirante conta algumas, Máximo e Didier, outras. Velhos sambistas que conviveram com Noel também relembram um caso ou outro. Nas mesas de bar, nos cabarés, em todo o bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro, no Brasilinteiro, as canções de Noel estão presentes, constantemente lembradas, contando parte da história de seu compositor. (Fonte: Coisas nossas: a sociedade brasileira nos sambas de Noel Rosa. Link de acesso: http://www.samba-choro.com.br/debates/1005607912/index_html) A canção’’Filosofia’’ composta por Noel Rosa, faz uma crítica á forma como a sociedade encara a realidade das pessoas. Vivemos em uma sociedade que dita regras de como devemos vivemos, comportar e ser. Muitas vezes, na verdade, a maioria das vezes, ninguém observa a reais necessidades dos outros, o que é levando em conta é se a pessoa está ou não dentro desses requisitos hipócritas criados pra separar a sociedade. O eu-lírico desta canção, nos mostra muito bem isso, as pessoas são julgadas e ignoradas, sem terem a oportunidade de mostrar seu valor. Todos o julgam, mas não se importam com suas necessidades. E aprende, segundo ele com a Filosofia, a viver de forma indiferente á esses julgamentos, fingindo assim fazer parte desse grupo de pessoas, que se acham enquadrados nos modelos sociais. Mas, deixa claro que continua escravo do seu samba, que é algo que lhe traz prazer, enquanto os aristocratas, continuarão a viver com o dinheiro, mas também com a hipocrisia que lhe rodeia.

por ELIANE PEREIRA FREITAS - segunda, 28 abril 2014, 14:50
  A filosofia contemporânea, começa no fim do século XIX ao século XX, onde houve diversas mudanças na sua cultura, na história e nas relações da sociedade,porém permanece com os problemas sociais, econômicos e científicos.Nesse contexto a filosofia identifica com uma visão crítica e questionadora diante da moral,religião e ciência.
  Em relação a canção "filosofia" de Noel Rosa, retrata bem sobre a filosofia contemporânea, devido aos problemas enfrentados, um fator que se destaca é desigualdade social, onde muitas pessoas não importam com as necessidades do próximo e a realidade vivida por elas, colocando as vezes um tipo de padrão de vida, com regras e normas hipócritas,voltada para o dinheiro, luxo e bens materiais, que divide a sociedade. O mais importante da canção é a questão da felicidade, onde relata que pra ser feliz é ser você mesmo,sem ter que ser aquilo que a sociedade impõe.  


Imagem de ELISANGELA DOS SANTOS
Re: O mundo nos condena?
por ELISANGELA DOS SANTOS - segunda, 28 abril 2014, 18:04
O eu-lirico é toda a sociedade que sofre, passa fome e muitas vezes é criticado por aqueles que não os conhece, pessoas focadas no consumismo, no ter, e não percebe que o dinheiro não compra a felicidade e a alegria que ele busca ter com o auxilio da filosofia, para fingir muitas coisas, ou driblar as injustiças deste mundo, para obter um jeito melhor de nao ser zombado por eles. O eu-lirico critica a sociedade em dizer que é a sua inimiga, muitas vezes por ter dinheiro e não preocupar com quem vive a mercê de uma sociedade hipocrita que só pensa no ter, enquanto o eu-lirico vive na simplicidade, mas vive com alegria com o pouco que tem.A letra da musica está relacionado com o texto  história da filosofia o periodo economico, politico cultural, onde cada um vive de uma forma diferente, e tem sua propria filosofia, sendo pobre ou rico, não importa, o importante é que o presente é melhor e superior se comparado ao passado, e o futuro será bem melhor se comparado ao presente.


Imagem de GABRIELA MARTINS RUAS
Re: O mundo nos condena?
por GABRIELA MARTINS RUAS - terça, 29 abril 2014, 07:18
Noel Rosa ironiza a filosofia das pessoas de poder aquisitivo maior, que acabam criando diversas verdades que ignoram a existência de pessoas com menores oportunidades na vida tanto monetária quanto intelectualmente. Karl Jaspers em Introdução ao Pensamento Filosófico (Cap.XVII: A Filosofia no Mundo) ao ter contato a filosofia a pessoa se depara com outra maneira de ver a realidade o que provoca uma mudança de valores e conduta e assim ele se sente alheio ao mundo, situação vivida pelo eu lírico da música sendo explicitado esse sentimento na passagem "A viver indiferente assim”.
            O pensamento filosófico permite ao ser humano ter autenticidade e pensar por ser próprio e assim não pertencer a massa que não questiona e somente acata a ordens.Infelizmente isso e usado por pessoas mal intencionadas que tiram proveito da situação.
Avaliação máxima: -